segunda-feira, novembro 19

Lenda do Vinho

Há muitos milhares de anos, um homem que passou a vida na Grécia, quando se sentiu velho regressou à sua pátria, a Itália, e resolveu levar com ele uma linda videirinha , pois não se lembrava de, na sua infância, ter visto tal planta na sua terra natal.
Como não tinha vaso para a transportar, utilizou o que tinha à mão, um osso de galo. Esvaziou-o e meteu dentro as raízes com um pouco de terra.
Ora como se deslocava a pé, levou muito tempo a fazer a viagem, a videira cresceu e não teve outro remédio senão mudá-la para um osso de leão que encontrou pelo caminho.
Mas, como a planta continuava a crescer, Dionísio, assim se chamava o viajante, teve a sorte de deparar com um osso de burro e para lá mudou a plantinha.
Consta que daquela videira se fizeram muitas outras, e por ela ter crescido em tão estranhos vasos quem bebe pouco vinho fica alegre como um galo e quem muito abusa do vinho perde as ideias e fica estúpido como um burro.

Pólo de Carrazeda - Tuma F

Joana – 4º ano





MAGUSTOS

Todos os anos as pessoas, pelo S. Martinho, fazem um magusto, seja em casa ou na escola,
Antigamente, nos magustos, assavam-se as castanhas nas fogueiras.
Nesse tempo, quando o carvão arrefecia, as pessoas esfregavam-no nas mãos e enfarruscavam-se umas às outras. Ainda agora o fazem, mas com o passar do tempo foi inventado o assador, para facilitar a tarefa. Apesar desta invenção há quem prefira usar a tradicional fogueira para depois se poderem pintar e assim o magusto ser mais divertido, para além de que as castanhas ficam mais saborosas.
O magusto, é só um pretexto para amigos e familiares se reunirem à volta duma fogueira ou duma mesa, a beber o vinho e a comer as castanhas.

Pólo de Carrazeda - Turma F
José Eduardo – 4º ano









LENGALENGA DAS 7 CASTANHAS


As sete castanhas
Tanto saltaram
Que uma caiu
E só seis ficaram.

As seis castanhas
Um telhado passaram
Uma escorregou
Só cinco ficaram.

As cinco castanhas
Encontraram um rato
Uma ficou assustada
Só ficaram quatro.

As quatro castanhas
Encontraram um chinês
O chinês levou uma
Só ficaram três.

As três castanhinhas
Iam a descer a rua
Uma escorregou
Só ficaram duas.

As duas castanhinhas
Foram fazer ó ó
Uma adormeceu
E ficou uma só.

Uma castanhinha
Não queria ficar sozinha
Encontrou uma amiga
E foi para a sua barriguinha.

Pólo de Carrazeda - Turma F
Joana - 4º ano

2 comentários:

Maria Amélia disse...

Parabéns Turma F do 4º ano!
Gostei muito dos textos e das quadras.
Continuai que estais no bom caminho...

Anônimo disse...

Ler é a maneira mais barata de se ir de férias, de se viajar, de se conhecer e de se cultivar. Boa turma F!